segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Lumia 925: 5 meses com um Windows Phone

Depois de quase 6 meses com o meu primeiro Windows Phone, a nossa relação chegou ao fim. Aqui conto como foi a experiência de usar um Nokia Lumia como smartphone principal durante esse tempo.

Imagem roubada da internet.

Começando pela melhor parte, o hardware. 

 

Câmera

A melhor coisa do Lumia 925 é a sua câmera, que realmente mostra "mais do que seus olhos podem ver", como dizia a Nokia em suas propagandas. Os 8.7 MPs com PureView, Carl Zeiss, juntamente com flash de LED duplo fazem mágica, e em ambientes escuros a câmera consegue captar muitos detalhes com pouco ruído.

A câmera frontal é muito boa também, fazer selfies legais não era difícil.


 


Pegada e design

O fato do alumínio ser muito escorregadio, me deixou com medo dele cair o tempo todo no início, e isso atrapalha um pouco no uso diário. Ele é muito leve, fino e tudo se encaixa perfeitamente dando a impressão de resistência. A parte traseira em policarbonato branco não manchou e nem arranhou durante esse tempo, mesmo não utilizando cases.

Apesar de tudo ser bom, não faço mais nenhuma questão de ter o smartphone mais fino do mercado. Um Moto X certamente é mais confortável e gostoso de pegar.
O Lumia 925 continua sendo um dos smartphones mais bonitos no mercado atualmente e para quem se importa muito com o visual das coisas (como eu), ele é uma ótima opção.


Desempenho

Nunca travou a ponto de precisar reiniciar o smartphone, roda TUDO lindamente (se o app for bem feito), efeitos visuais do sistema ajudam na sensação agradável de fluidez. 

Mas tudo pode ficar muito ruim se você não deixar pelo menos 1GB de espaço livre na memória, sério, ele se transformou num Galaxy Y da vida. 

Uma coisa que pode incomodar é o fato do aparelho esquentar bastante próximo a câmera durante jogos pesados.


Bateria

Eu não largava ele, usava o tempo todo e geralmente espetado no meu notebook, então não posso definir se a bateria é ruim ou boa aqui. Mas, para usuários menos viciados ela deve dar conta do recado por um dia. 

 

Tela

Muito nítida, muito brilhante, muito muito! Eu sou um defensor da tecnologia AMOLED e só saio dela para uma Retina. As 4,5º polegadas são suficientes para mim, mesmo atualmente usando um smartphone com tela maior que isso.


Som

O som é ótimo. O fone que acompanha ele tem uma qualidade incrível e nunca um fone durou tanto tempo comigo. O fone vem com borrachinhas extras em tamanhos diferentes, e a menor de todas é a que encaixou melhor nos meus ouvidos, demorei para chegar nessa conclusão.

Os alto falantes são altos e muito "limpos", a captação é estéreo e cristalina. 


Algumas especificações técnicas dele:

Câmera: 8,7 megapixels (traseira) e 1,3 megapixels (frontal). sensor: 1/3,
Distância focal: 26 mm (equivalência a 35 mm) e abertura: f/2,0.

Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, GPS, NFC, Bluetooth 3.0 e USB 2.0.

Dimensões: 129 x 70,6 x 8,5 mm.

GPU: Adreno 225.
Sem entrada para cartão de memória.
Memória interna: 16 GB.
Memória RAM: 1 GB.
Peso: 139 gramas.
Bateria: 2.000 mAh.
Processador: Dual-core Snapdragon S4 Plus de 1,5 GHz.
Sensores: acelerômetro, bússola, giroscópio e proximidade.
Tela: AMOLED de 4,5 polegadas com resolução de 1280×768 pixels, Super Sensitive Touch, proteção Gorilla Glass 2 e 332 PPI.


Agora a parte mais ou menos, o sistema:
Mas antes, gostaria de deixar claro o motivo de ter escolhido o Lumia 925. Quando comprei o aparelho, estava ciente dos problemas do sistema, a falta de aplicativos que são populares em outras plataformas e outros probleminhas. Mas, quando comprei o Lumia estava mais interessado no smartphone, em especial sua câmera e design. Por tanto já adianto que não tenho nenhum arrependimento e vendi o Lumia 925 em 20/09/14 com um certo aperto no peito.
O smartphone cumpriu bem o que eu esperava dele, ótimas fotos, ótima qualidade e uma maravilhosa tela. Infelizmente o sistema não evoluiu o bastante para se tornar digno do hardware da antiga "Nokia mobile".

Os problemas:
1- O descaso da Microsoft com o seu próprio sistema.
Nesse tempo que utilizei Windows Phone, notei o quanto a Microsoft ama o Android e o iOS. Seus aplicativos funcionam melhor nos concorrentes e tem mais funções! Como pode uma empresa que quer consolidar um novo sistema investir mais nos concorrentes? Por que comprar um Windows Phone quando se tem tudo e melhor nos outros dois principais sistemas? E pra piorar, Windows Phone está perdendo aos poucos as poucas exclusividades que possui. (Escrevi esse paragrafo pensando no Skype e nas inúmeras vezes que o maldito atrapalhou minha vida).

2- O descaso dos desenvolvedores populares em desenvolver e atualizar aplicativos bons e completos.
A Microsoft adora exibir e promover o Instagram nas suas imagens publicitárias, mas não diz que o app não envia vídeos e nem mensagens diretas. "Ah, mas tem o 6tag!" - Fanboy. O 6tag é um ótimo app e um dos poucos que funcionam muito bem. Mas para enviar mais de um vídeo é necessário pagar, e é vergonhoso um sistema precisar de uma gambiarra pra entregar uma experiência boa de um outro app oficial esquecido, mas enfim, temos o 6tag. O mesmo acontece com o Snapchat que podemos utilizar o 6snap, mas nesse caso nem uma versão meia boca do Snapchat oficial tem. Minha reclamação não se restringe aos apps que chegam e não funcionam como deveriam, também abranja os que não chegam. Ainda hoje é válido considerar que o Windows Phone não tem muitos apps relevantes, a feia confusa loja é dominada por apps de edição de imagens muito semelhantes, apps explicando o que outros apps fazem, além de outros bobinhos e similares.

3- O Windows Phone já deveria ser um sistema completo.
Não tive problemas com o sistema e o uso foi bem legal até, mas ele ainda não está no nível do iOS ou Android. Funções bobas que chegaram atrasadas são anunciadas e comemoradas como se fossem uma GRANDE novidade, e isso não deveria acontecer. Gerenciador de arquivos nativo, barra de notificações, pastas de tiles, a esquecida tela de bloqueio dinâmica que prometia tanto e não cumpriu nada até o momento... Tudo tem que melhorar bastante ainda.

Conclusão:
O Windows Phone está pronto para atender perfeitamente um determinado público, que são os usuários menos "nerds". Eu sempre achei o Windows Phone perfeito para mulheres, idosos e pessoas em busca de um smartphone de entrada com bom desempenho e segurança. Os smartphones são lindos, o sistema é simples, não trava com frequência e rapidamente se torna fácil de compreender. Melhorando lentamente, creio que se a Microsoft decidir colocar os desenvolvedores dela para trabalhar, o Windows Phone um dia será tão bom quanto o Android e quem sabe até chegue perto da boa estrutura atual do iOS. Me surpreenda com o Windows (phone) 10, Microsoft.